Alguém uma vez disse: “Não se pode voltar atrás e começar de novo, mas podemos criar um novo final para isto”. Exis­tem hábitos, esta­dos de espírito e maneiras de ser que vamos gan­hando con­forme vamos vivendo que nos garan­tem, psi­co­logi­ca­mente, a nossa sobrevivência.

Um deles, desde muito novos é não colo­car os dedos nas tomadas. É lógico que evi­tar esse com­por­ta­mento garante-nos a sobre­vivên­cia. No entanto, como Free­lancers, temos muitas vezes que arriscar, que nos desafiar a nós mes­mos, temos de nos colo­car no fio da navalha para poder­mos ser mais bem sucedidos.

E exis­tem várias coisas que temos de parar de fazer para sair da mediocridade.

Uma delas é deixar de fugir dos nos­sos problemas!

DEIXE DE FUGIR DOS PROBLEMAS

Dare to Live With­out Lim­its — Vale pelo grande con­teúdo e pelas histórias!

Os prob­le­mas não se podem evi­tar, nem se podem con­tornar. Eles exis­tem para um motivo — para nós evoluirmos. Se pen­sar­mos neste sen­tido, os prob­le­mas são, de facto, bem-vindos.

Os prob­le­mas, quando surgem, vêm com uma men­sagem da vida: está na altura de evoluires mais um bocad­inho. Se evi­tar­mos os prob­le­mas nunca ire­mos evoluir, nem pro­gredir. Temos de abraçar os prob­le­mas como um novo passo, mais uma área a explo­rar, mais uma área em que vamos progredir.

E podemos pen­sar nos prob­le­mas como coisas chatas, com­pli­cadas e abor­reci­das, que nos deixam tristes, zan­ga­dos ou atra­pal­ha­dos. Ou podemos pen­sar que são desafios que têm de ser super­a­dos. E quando forem super­a­dos, somos mais capazes, mais com­pe­tentes. Os prob­le­mas são testes da vida para nós melhorarmos.

Bryan Golden tem um livro, Dare to Live with­out Lim­its, que explora vários temas de um modo muito pos­i­tivo, mas este de maneira muito par­tic­u­lar tocou-me com as histórias de quem enfren­tou obstácu­los e con­seguiu ser bem sucedido.

Um abraço e tudo de bom,

Nota: Todos os links são prove­nientes da Ama­zon e SE com­prar pelo link, eu vou gan­har uma comis­são de afil­i­ado. Não é necessário que adquiram pelo link, mas leiam os livros que valem a pena. No caso de adquirirem pelo link, o meu mais sin­cero obri­gado :) .

0 comments