Um dos prob­le­mas das empre­sas hoje em dia, quando enfrenta­mos uma crise destas, é man­ter o seu pes­soal administrativo.

No entanto, pes­soal admin­is­tra­tivo é fun­da­men­tal para man­ter a orga­ni­za­ção dos proces­sos e colo­car tudo sobre rodas e a fun­cionar em pleno.

Até mesmo os free­lancers têm de perder tempo com a parte admin­is­tra­tiva e orga­ni­za­tiva do seu negó­cio. Mas e se fosse pos­sível adquirir, por algu­mas horas no mês, alguém que trate da orga­ni­za­ção do seu negócio ?

Os cortes na Administração

Raras são as vezes que não se con­tem­pla o pes­soal admin­is­tra­tivo como não produtivo.

Assim, os cortes são muitas vezes rela­ciona­dos com o dito pes­soal não-produtivo. E a maio­ria dos negó­cios sofrem na pele a descida na qual­i­dade dos seus proces­sos assim que deixa de ter a sua admin­is­tração tratada com o dev­ido desempenho.

E não é, então, sur­presa ver­i­fi­car­mos um aumento de fac­turação das empre­sas de tra­balho tem­porário: estas lidam essen­cial­mente com tare­fas e empre­gos de administração.

O Free­lancer e a Administração

Às vezes, quem nos dera uma tecla destas!

Vou-vos con­fes­sar algo: eu próprio sofro desse mal de con­sid­erar a parte admin­is­tra­tiva como não pro­du­tiva! Mas a ver­dade é que qual­quer negó­cio neces­sita de orga­ni­za­ção e admin­is­tração. Caso con­trário, nada funciona!

Eu colo­quei num artigo, dos que eu con­sidero mais impor­tante, o valor que em regra del­eg­amos para a área admin­is­tra­tiva num mês: 3 dias por mês.

Se con­sid­er­ar­mos o valor desses 3 dias por mês, num período de 10 horas por dia, ao valor de 20 euros por hora (tudo val­ores de refer­ên­cia), facil­mente cheg­amos a um valor de 600 euros que perdemos a orga­ni­zar as nos­sas papeladas e proces­sos. E acred­item que 3 dias por mês é muito (MUITO!) optimista.

A sim­biose

Temos de con­tar aqui com outra situ­ação, que pode gerar alguma polémica: admin­is­tração do negó­cio, emb­ora faça parte do negó­cio, não é o negó­cio. É algo aux­il­iar ao negócio.

Não há nada a nível de proces­sos que a assis­tente vir­tual não possa ajudar!

O free­lancer, que sabe do seu negó­cio, tem por norma de ser cria­tivo no seu tra­balho: até mesmo o próprio admin­is­tra­tivo, que tem de criar a sua metodolo­gia de tra­balho, a mel­hor maneira de cal­en­darizar e elab­o­rar proces­sos. Esse é o seu negócio.

A admin­is­tração, a parte da orga­ni­za­ção da sua papelada, não deve depen­der da sua cria­tivi­dade — deve ser um processo.

A cria­tivi­dade e a orga­ni­za­ção são sim­bióti­cas — ajudam-se uma à outra. A orga­ni­za­ção depende sim de um processo cria­tivo ini­cial, mas dora­vante é um processo repet­i­tivo e max­i­mizado para ocu­par o menor tempo possível.

Uma nova opor­tu­nidade de negócio

Assim, temos aqui uma exce­lente opor­tu­nidade, não só de del­e­gar­mos parte do nosso tra­balho, que não depende direc­ta­mente do nosso negó­cio, a outra pes­soa. Essa outra pes­soa, não só habit­u­ada a criar e gerir proces­sos admin­is­tra­tivos, terá então de se abrir aos proces­sos automáti­cos de negócio.

Assistên­cia pronta na tecla.

Podemos ter a admin­is­tração de uma loja online, no trata­mento e despa­cho de encomen­das, feito por assistên­cia vir­tual. Podemos ter a edição de uma revista, com a for­matação de arti­gos e gestão de comen­tários por assistên­cia vir­tual. Podemos ter a mar­cação de aulas can­i­nas e gestão de cur­sos de treino de guarda ani­mal por assistên­cia virtual.

O assis­tente vir­tual passa assim por ser, ele próprio, um free­lancer, capaz de cuidar, em várias alturas do seu dia de tra­balho, da admin­is­tração e orga­ni­za­ção do negó­cio de várias pessoas.

Con­clusão

Para aque­les que agora lutam por um lugar no mer­cado lab­o­ral, façam con­tas, recor­rendo aos arti­gos que aqui já colo­quei, ao vosso negó­cio. Uma sim­ples de fazer poderá ser o seguinte: 10 horas por dia x 6 euros por hora x 22 dias = 1.320 euros. Sem descontos.

É claro que não é um orde­nado gigante, mas por 1.320 euros bru­tos,  face aos orde­na­dos mín­i­mos que se ofer­ece por aí, se cal­har vale a pena perder algum tempo a pen­sar como ofer­e­cer um serviço sólido e atrac­tivo de assistên­cia virtual!

E para nós, que quer­e­mos expandir a nossa carteira de clientes e fazer mais com o nosso tempo, se cal­har está na altura de con­tratar uma assis­tente virtual.

Um abraço e tudo de bom,

1 comments
fbarrento
fbarrento

Olá Ricardo Rocha,

 

Li o seu artigo com muito entusiasmo.

A partilha de recursos é algo que devemos promover. A minha empresa tem soluções desenvolvidas para freelancers libertando-os de todas as tarefas administrativas (facturação, gestão de encomendas, gestão de stocks, gestão da tesouraria, arquivo, conciliações bancárias e impostos).

 

Aproveito para o convidar a conhecer o nosso site: www.barrentos.com.

 

Já agora podemos desenvolver uma solução em conjunto com o freelancerdinheiro.com a pensar em necessidades especificas para freelancers.