Ainda há rel­a­ti­va­mente pouco tempo (sen­sivel­mente 15 anos!), requerer um tra­balho de um fornece­dor de serviços externo impli­cava cer­ta­mente recor­rer a uma empresa por­tuguesa, ou a um bis­cateiro ou a um profis­sional por conta própria, qual deles a mais fiável e barata.

Hoje em dia, com a inter­net e a glob­al­iza­ção, é pos­sível req­ui­si­tar serviços exter­nos mais facil­mente, e mais baratos. Mas exis­tem riscos, e não são poucos.

1º Defina exac­ta­mente o que precisa

Um dos primeiros pon­tos em que tem de pen­sar ini­cial­mente é que os out­sourcers são pes­soas, não são exten­sões do seu corpo. Mesmo sendo pes­soas, não são videntes e nem lêem o seu pen­sa­mento. Vai ser impos­sível dizer numa linha exac­ta­mente o que pretende.

Pior ainda se estiver­mos a pen­sar em lín­guas difer­entes. Há muita coisa que vai ser per­dida na tradução.

Dado estes casos, defina exac­ta­mente o que pre­tende. Ao ínfimo por­menor. Mesmo!

Tenha o hábito de criar um man­ual com­pleto do que pre­tende fazer, até à tarefa de aper­tar o para­fuso! Exis­tem muitas maneiras de colo­car aquele para­fuso, até martelando-o. Não sabe como aquela deter­mi­nada pes­soa irá lidar com o parafuso!

2º Coloque um anún­cio nos prin­ci­pais sites de classificados

No caso de ter de ser uma pes­soa ao nível pres­en­cial (aju­dante de coz­inha para um free­lancer de cater­ing, por exem­plo), coloque num site de clas­si­fi­ca­dos local — olx.pt, custojusto.pt, sites por­tugue­ses que servem de exemplo.

No caso de ser um free­lancer IT, pode uti­lizar o vworker.com e o elance.com.

Inde­pen­den­te­mente da lín­gua, pro­cure ter o hábito de detal­har bem o que pre­cisa, criando um caderno de encar­gos em word, pdf, página web, exac­ta­mente do que pre­tende. Peça val­ores e refer­ên­cias para que possa com­parar as várias entradas.

3º Analise os comentários

Analise a inter­ac­tivi­dade dos comen­tários ? Quem faz mais per­gun­tas, quem tenta perce­ber exac­ta­mente do que o pro­jecto se trata ?

Pro­cure ver, nos comen­tários, refer­ên­cias a tra­bal­hos sim­i­lares ou, mel­hor ainda, peça mesmo comen­tários com refer­ên­cias a esses trabalhos.

4º Ava­lie os refer­ên­cias e os ratings

Colo­car as últi­mas peças do puzzle.

No caso dos free­lancer IT, na maio­ria dos casos, esses sites já pro­duzem tipos de dados que são uti­liza­dos como refer­ên­cias e pos­suem um sis­tema de avali­ações dos seus mem­bros colab­o­radores. Esta será  e é, sem dúvida, uma mais valia quando avaliar quem será a pes­soa indi­cada para a aju­dar no seu projecto.

No caso de não pos­suir estes mecan­is­mos, pro­cure com­pro­var as refer­ên­cias que lhe são mostradas, acerca dos pro­jec­tos ou dos tra­bal­hos que lhe mostram.

5º Con­siga, se pos­sível, con­tacto via Instant Mes­sag­ing (Skype, Gtalk, MSN)

Faça a entre­vista por um pro­grama de instant mes­sag­ing e analise as respostas, inde­pen­den­te­mente se pode mar­car com a pes­soa pes­soal­mente. Se puder fazer video­con­fer­ên­cia, mel­hor será. Não tenha receio de fazer as per­gun­tas que necessita.

6º Acom­panhe peri­odica­mente o seu outsourcer

Se é a primeira vez que tra­balha com esta pes­soa, acompanhe-o de perto. É nor­mal que ele cometa erros e é impor­tante saber se é uma pes­soa esforçada, com a qual pode con­tar no futuro. Se assim for, irá apren­der a tra­bal­har con­sigo e, mesmo que demore um pouco no iní­cio a acompanhá-la, vai valer a pena no futuro, que poderá dar mais liber­dade nos proces­sos que já estiverem rotinados.

7º Não pague de avanço

Evite efec­tuar paga­men­tos em adju­di­cação. Defina metas para paga­mento na val­i­dação das tare­fas ou com­pleição das mile­stones definidas.

Espero que estes 7 pas­sos ou dicas aju­dem a encon­trar o mel­hor apoio nos vos­sos projectos.

Bons pro­jec­tos.

Um abraço e tudo de bom,

5 comments
Jonathan Fontes
Jonathan Fontes

Olá Ricardo, Já tentei ir para a biblioteca de aqui de Coimbra, mas supostamente a internet é apenas para uso dos universitarios que é estúpido porque a biblioteca tem no nome "Geral". Mas isso já é outra história. Café por aqui perto não há muitos, existe sim uma coisa porreira em Coimbra, chama-se "cowork" é um espaço onde há outros profissionais a trabalhar ,há internet e mesas, o senão é que é pago. Abraços, Jonathan

Jonathan Fontes
Jonathan Fontes

Viva, Ricardo isto do teletrabalho dava que falar, posso falar da minha experiencia e de certeza que conseguia escrever um livro maior que a biblia. :P O que posso dizer sobre a minha experiencia, - tempo: * não tenho muito das vezes tempo para relaxar com as pessoas que realmente gosto. * requer de facto muita concentração para não me distrair com as outras coisas por exemplo com as minhas gatas (incluindo a minha namorada :D) * as tarefas domesticas interfere no tempo de trabalho, muito chato mas por vezes compensadoras porque dá para aliviar a cabeça noutras coisas. - espaço: * o melhor que se pode ter se conseguires ter um capacidade de concentração tremenda. * se tiveres o espaço de trabalho desarrumado vai afectar o teu dia de trabalho. * Televisões, telemoveis, internet são tudo coisas que nós distrai bastante, o que eu aconselho é meter os phones nos ouvidos, ouvir música que goste trabalhar na direcção de uma parede para não te distraíres. Email só vejo 2/4 vezes ao dia, mais não. Facebook a mesma coisa. Filtros poderosos sempre bem definidos. Podia muito bem escrever um livro disto tudo.

Ricardo
Ricardo

Viva Jonathan, Lol. Certíssimo. Eu diria pegar no portátil e ir para a biblioteca. Geralmente tens menos distracções, não podes fazer barulho e só tens os outros sites para te distraíres - mas é controlável. Trabalhar em casa é de facto bastante complicado e eu evito estar em casa quando necessito de ser produtivo. Um abraço Ricardo Rocha

Jonathan Fontes
Jonathan Fontes

Olá Ricardo, Nunca tive essa experiência de ter alguém "ao meu lado a trabalhar", no entanto no ramo do IT de certeza que não é importante a pessoa física para executar a tarefa daí a vantagem da web. Pessoalmente como trabalho em teletrabalho neste momento é fácil de perceber o que o outro quer que nós (outsourcing) façamos, necessário dizer que já conheço bastante bem a pessoa. No entanto a que referir que nós primeiros dias há falhas de comunicação que no meu ponto de vista é normal e aqui concordo quando dizes é preciso "dar o manual como parafusar um parafuso", porque hipoteticamente "eu" poderei não saber como faze-lo ou faço de outra maneira. Abraços, Jonathan

Ricardo
Ricardo

Viva Jonathan, Sim, a parte do manual é realmente muito importante - e é a origem da maior fonte de problemas quando não é bem feito. Trabalhar em teletrabalho requer, de facto, uma grande grande concentração, maior até que colocado on-site. Muitas vezes não se dá o devido valor do teletrabalhador mas, quando este é bom, até devia ser mais bem pago dado que não é uma pessoa que esteja a esgotar recursos da empresa. Mas regra geral isto é compensado com o facto do trabalhador se encontrar mais relaxado, se estiver em casa, o que muitas vezes implica menor produtividade. Um abraço Ricardo Rocha