Um dos erros críti­cos do free­lancer que não está actu­al­izado, nos dias de hoje, é não ir preparado no con­tacto com os seus clientes. O modus operandi de qual­quer profis­sional é  ini­ciar um con­tacto, através de um email ou tele­fonema, mar­car uma reunião e apre­sen­tar os seus pro­du­tos e serviços.

O cliente mais directo pode per­gun­tar: o que é que isso me pode aju­dar ? Se não estiver preparado para respon­der a esta sim­ples questão, não está defin­i­ti­va­mente preparado para trans­for­mar este con­tacto num poten­cial cliente.

Um con­ceito impor­tante que é necessário ter em conta e que é sim­ples de anal­isar: o con­tacto, para agen­dar uma reunião con­sigo, é porque neces­sita de algo que você lhe pode prov­i­den­ciar, ou algo na sua apre­sen­tação (via email, carta, tele­fonema ou através das redes soci­ais) o intrigou. O primeiro, a não ser que seja vidente, é mais difí­cil de encon­trar que o primeiro.

Então, cal­cu­lamos que, se con­seguiu a reunião com o poten­cial cliente, algo fez de cor­recto. Mas que pode estra­gar na reunião se não for preparado.

Eis os pon­tos que indicam que não está preparado:

Que embaraço!

#1 — Chegar atrasado / muito cedo

Apresente-se 5 min­u­tos antes da reunião. Muito cedo dá uma indi­cação de que não tem nada para fazer. Chegar atrasado demon­stra desre­speito e falta de organização.

#2 — Aparên­cia desmazelada

Ainda não sabe se o cliente é for­mal ou não. Se não for, ele o dirá que pref­ere modo casual. Caso con­trário, no mín­imo, camisa e blazer.

#3 — Não estu­dar o cliente

Se não tiver estu­dado o cliente, não con­segue saber que tipo de serviços ofer­e­cer, que este­jam espe­cial­mente indi­ca­dos para a actual situ­ação do cliente. Tem de saber o que vai ofer­e­cer, que vai real­mente deixar o cliente inter­es­sado. Caso con­trário, pare­cerá sim­ples­mente que quer vender-lhe algo, e não ajudá-lo no seu negócio.

#4 — Falar demais / não ouvir o cliente

Se o cliente começar a falar sobre o que pre­tende, faça um favor a si mesmo: cale-se e oiça. Ele está a dizer o que você pre­cisa de lhe ofer­e­cer para fechar negó­cio. Se pref­ere ouvir a sua própria voz, ao invés do cliente, vai cer­ta­mente perder a opor­tu­nidade de criar ali uma boa relação de negócios.

Más impressões!

#5 — Não criar uma lig­ação empática

A par­tir do momento em que esta­b­elece con­tacto pes­soal com o con­tacto, deve esta­b­ele­cer uma relação de empa­tia com ele. Não inter­essa as razões que você tem, só con­seguirá uma relação de negó­cios, se tiver cri­ado, antes de mais, uma relação empática com o cliente. É assim que tudo funciona.

Se não estiver gen­uina­mente inter­es­sado na pes­soa, como pes­soa, isso vai trans­pare­cer e “algo não vai bater certo” no instinto do cliente. É o sufi­ciente para tudo cair por terra.

#6 — Pergunte

Per­gunte, se tiver dúvi­das. Mesmo que não as tenha, porque não faz ideia do que é necessário, per­gunte. Isso vai sus­ci­tar out­ras per­gun­tas no seu entendi­mento. Se não tiver dúvi­das, se não per­gun­tar, vai pare­cer que não perce­beu nada ou não tem inter­esse nen­hum. Em ambos os casos, é muito mau.

 

Todos estes pon­tos não pre­cisam de prática para ini­ciar, mas a prática de as fazer vão torná-lo mel­hor e bem mais preparado para lidar com os seus novos contactos.

Não deixe, no entanto, de se preparar para se rep­re­sen­tar ao mais alto nível. Algo abaixo do mel­hor que puder vai trans­pare­cer na sua ati­tude e poderão colo­car em causa novos e tão necessários rendimentos.

Bons pro­jec­tos!

Um abraço e tudo de bom,

0 comments