Dei-me conta, há bas­tante pouco tempo, de um fenó­meno tão inter­es­sante como arrepi­ante. Outro título menos cáus­tico para este artigo seria “A bolha das redes soci­ais”, mas o facto que me apercebi é tão nocivo que espero que sirva de chamada de alerta.

Imag­inem o seguinte cenário: vamos ambos, eu e o meu amigo, a um bar que é por nós bas­tante con­hecido, pop­u­lado por gente nossa con­hecida, ami­gos nos­sos e ami­gos dos nos­sos ami­gos. Lá, eu tenho uma von­tade de par­til­har imenso uma história, uma ideia, con­tar uma ane­dota, etc.

E logo a seguir, o que acontece ?

Con­tin­uar a ler… »