O Free­lancer que não gere bem os seus tem­pos acaba por se colo­car em sarilhos.

Se a real­i­dade da vida não é con­tem­plada quando equa­cionamos os pra­zos para um pro­jecto, esta tem o cos­tume de se introm­e­ter. É por essa razão que os tem­pos são cal­cu­la­dos com alguma folga, dado que a nossa activi­dade não gira só à volta da execução.

O que pode acon­te­cer quando fal­hamos um prazo ?

Quando os pra­zos não são cumpri­dos, temos um grave grave prob­lema, difí­cil de gerir. Par­ti­mos a cabeça a ten­tar acel­erar o nosso passo, perdemos horas de sono, estoiramos a saúde e isso muitas vezes acaba por se empil­har em cima do prob­lema. Pro­gra­mas com falta de qual­i­dade, erros evi­dentes e fal­has graves na apre­sen­tação do projecto.

Uma única falha de um prazo ini­cial pode-nos ini­ciar numa espi­ral sem retorno e pode ser uma den­tada num port­fo­lio per­feito — na nossa linha de tra­balho não dis­po­mos de muitas abébias antes de deixarem de nos contratar.

Se não quiser ter tele­fone­mas de clientes deses­per­a­dos a gri­tar con­sigo por fal­har na entrega do pro­jecto ou serviço a tempo, clientes a ver­i­ficar a todo o momento como está o tra­balho ou clientes a desa­pare­cer da sua vida por fal­har a entrega dos pro­jec­tos, con­tem­ple bem os pra­zos que entrega e analise bem as pri­or­i­dades quando decidir fal­har este
ou aquele prazo.

Bons pro­jec­tos!

Um abraço e tudo de bom,

0 comments