Há algum tempo que tenho ten­tado con­duzir um fio de pen­sa­mento neste blog sobre como ter o seu próprio rendi­mento, fruto do seu tra­balho e da sua respon­s­abil­i­dade, sem ter um patrão. Infe­liz­mente não são todos os que procu­ram esse tipo de arti­gos. Muitos dos arti­gos que lêem aqui são mais rela­ciona­dos com a ten­ta­tiva de encon­trar uma resposta ráp­ida e fácil ao prob­lema pre­mente de falta de din­heiro. E isso não existe…

Respostas fáceis sim­ples­mente não são as mel­hores — tudo o que na vida é de valor, vem acrescido com difi­cul­dades. Mas as difi­cul­dades são bem vin­das, se nos lem­brar­mos sem­pre que todos os prob­le­mas têm den­tro val­ores para mel­ho­rar­mos como pes­soas e profissionais.

Quem evita essas difi­cul­dades, quem se imis­cui dos obstácu­los, quem respon­s­abi­liza out­ros pelos seus prob­le­mas ou con­se­quên­cias vai estar preso den­tro de uma bolha até enfrentar esse desafio, bolha essa que será tão forte quanto o tempo que pas­sar antes de enfrentar­mos o desafio.

Exis­tem razões fan­tás­ti­cas para atacar­mos o obstáculo de frente e ser­mos cora­josos. E agora, pro­curem man­ter o espírito aberto e pode ser que a vossa maneira de pen­sar nos prob­le­mas mude de uma vez por todas.

Avançar na vida

O primeiro ganho ao enfrentar­mos o desafio de frente é que, ultra­pas­sado o desafio, gan­hamos espaço em frente da vida. Se encon­trar­mos uma situ­ação semel­hante, já não vamos sen­tir medo. Desco­b­ri­mos o código, temos a chave para lidar com estas situações.

Auto-confiança

Esta vitória é uma impor­tante arma quando nos sen­ti­mos frustra­dos com out­ras situ­ações difer­entes. Podemos utilizá-la e dizer “Calma, já pas­saste pela situ­ação XYZ e con­seguiste resolver. Esta não será difer­ente.” É indifer­ente se são situ­ações muito dis­pares. A questão é que a aprox­i­mação ao desafio é idên­tica. É ir no encon­tro da mesma para a resolver.

História

Situ­ações difí­ceis e a maneira cora­josa ou car­i­cata como as resolve­mos ou enfrenta­mos é o que nos define como pes­soas, define a nossa per­son­al­i­dade. Após enfrentar um desafio, o resul­tado que fica, vitória ou der­rota, é uma história. Não é um fal­hanço. É exper­iên­cia. Só fal­hamos quando desis­ti­mos. Essas histórias é que com­põem a nossa vivên­cia e nos fazem ser pes­soas interessantes.

Se numa con­versa de café, deixarem de ter assunto para falar, eu diria que pre­cisam de mais histórias.

Exper­iên­cia

Quan­tas vezes dese­jariam de ter alguém com o con­hec­i­mento de como ultra­pas­sar uma situ­ação com­pli­cada e pedir-lhes ajuda ? E será que não estariam dis­pos­tos a pagar por essa ajuda ? Quan­tas vezes dese­jamos que alguém nos diga “Bolotas, tu que já pas­saste por isto e aquilo e aquel’ outro e estás agora tão agas­tado por tomar uma ati­tude em relação a esta situ­ação ? Vamos lá a resolver isso agora já!”

Vencer uma situ­ação difí­cil na nossa vida vale ouro. Exper­i­men­tar coisas novas, mesmo arriscando-nos a perder muito, vale platina. Fazer um esforço gigante, colo­car todas as nos­sas fichas numa jogada, com pes­soas que nos estão a aguen­tar, com depen­dentes ou família a apoiar com a reserva de não saber se as coisas cor­rem bem ou mal, como o nosso caro comen­ta­dor Jonathan Fontes, são dia­mantes bru­tos de exper­iên­cia a serem refinados.

O que sobra desta história é uma exper­iên­cia rica, que pode valer um livro, que pode valer uma avença, que pode valer sessões de acon­sel­hamento, que pode valer um pro­grama de treino, que poder valer a con­tratação por uma empresa, que pode valer um con­vite para falar numa con­fer­ên­cia, que pode valer um pro­grama de mem­bros — para quem ainda não pas­sou por essa exper­iên­cia e tem receio de pas­sar por ela e/ou quem pre­cisa de alguém que já o fez!

Arriscar nos desafios vale ouro. Literalmente!

 

“Never give in, never give in, never; never; never; never — in noth­ing, great or small, large or petty — never give in except to con­vic­tions of honor and good sense”  - Win­ston Churchill

 

1 comments
Jonathan Fontes
Jonathan Fontes

Olá Ricardo, Como sempre os teus tópicos estão sempre bem escritos, e este ultimo não fiquei indiferente muito pelo contrario fiquei com um arrepio pela espinha a cima que me fez pensar duas vezes o que já fiz. De facto Ricardo, a experiencia é sempre ganho com Vitoria ou com Falhanço, e neste momento cada dia que passa ganho cada vez mais experiencia. O profebox (que é o tópico que é referenciado neste texto), ainda esta a ser concluído e ainda falta. Irei desistir agora, depois tanto tempo investido ? Não, claro que não. Porque isso seria ser fraco, há momentos que me apetece mandar tudo pelos ares por razões no restritas a programação, mas por outras razões (monetárias). Mas no entanto com o sacrificio de algumas pessoas e irei um dia (não sei quando ) ter o mérito que mereço e recompensar as pessoas que me apoiaram e que me motivaram, uma delas es tu Ricardo. Contudo isto, adoro o que faço e não há nada mais BOM do que fazer o que gostamos. Os melhores cumprimentos e abraços, Jonathan Fontes