Motivação.Um dos grandes prob­le­mas da falta de auto-realização é, sem dúvida, a perca da moti­vação, que leva as pes­soas a aban­donarem por algum tempo, e norma geral defin­i­ti­va­mente, os seus objectivos.

Recon­hecer as razões é MUITO impor­tante. Daí deriva a capaci­dade ou não, de con­seguirmos com­bater a origem. Como um sin­toma, sem con­hecer­mos a origem não se con­segue efi­caz­mente com­bater a doença.

Exis­tem 3 razões impor­tantes para esta situ­ação ocor­rer: perda de auto­con­fi­ança, perda de focus ou perda de direcção.

Perda de Auto-Confiança

Não sou capaz!“
“É inútil lutar…“
“Não mereço a rec­om­pensa de atin­gir X!“
Estas frases são direc­ta­mente rela­cionadas com a perda de auto-confiança, mas algu­mas são mais insidiosas. Vejamos um exem­plo:
Um free­lancer tem um pro­jecto com­plexo a desen­volver e com o decor­rer do tempo vai queimando eta­pas. Entre­tanto, na sua vida pes­soal, algo de grave acon­te­ceu. Algo que o tenha abal­ado. Uma dis­cussão com um famil­iar, uma que­bra de um rela­ciona­mento, etc. Esse evento vai criar incertezas no free­lancer, se a sua auto-estima não for ele­vada. A sua con­fi­ança irá ficar abal­ada, que será trans­mi­tido à moti­vação de atin­gir os seus objectivos.

Perda de Foco

Nós, seres humanos, somos capazes de coisas extra­ordinárias. Quando nos focamos e empen­hamos em algo, cheg­amos lá. Como se estivesse­mos a con­duzir uma viatura, se olhar­mos para o nosso objec­tivo, as nos­sas changes de chegar lá são maiores porque toda a nossa atenção está virada para o objec­tivo.
Mas existe uma difer­ença em focar­mos no que quer­e­mos, do que focar­mos no que não quer­e­mos. A maio­ria das pes­soas age pelo medo do que pelo objec­tivo.
Um medo con­creto, de perder o seu salário, ou o seu din­heiro no final do mês, ou o seu emprego, é um foco mais usual do que, por exem­plo, atin­gir os seus objec­tivos ou excedê-los como motivo para aumento de salário, criar um part-time ou um negó­cio à parte para aumen­tar o seu din­heiro no final do mês, ou encon­trar maneiras de mel­ho­rar a sua pro­du­tivi­dade e a pro­du­tivi­dade do seu empre­gador, dando motivos a mel­ho­ria na sua car­reira.
O foco cor­recto e mais con­stru­tivo rep­re­senta um objec­tivo con­creto e atingível, ao con­trário de um objec­tivo abstracto que é não perder o emprego. Os objec­tivos abstrac­tos têm a tendên­cia de apare­cer difu­sos, como uma fotografia des­fo­cada, e, em seguida, destru­irem a motivação.

Perda de direccção

Podemos saber onde quer­e­mos chegar mas regra geral, ou não cri­amos um plano para lá chegar, ou perdemo-nos no cam­inho. Sem um mapa onde podemos ver todos os nos­sos pas­sos, definir pon­tos impor­tantes de con­cretiza­ção (mile­stones), chegar ao nosso objec­tivo é um evento do mero acaso, como jogar no totoloto ou euromil­hões, com números escol­hi­dos ao acaso todas as sem­anas.
Para além disso, sem ter um plano definido com a nossa próx­ima tarefa, o mais nor­mal é sucumbir­mos à prática da preguiça.

Con­clusão

É inevitável encontrar-se em perío­dos de fraca ener­gia, maus momen­tos, azar ou até fal­hanços oca­sion­ais. Tem de desen­volver uma mente forte e dis­ci­plinada. Caso con­trário, estas lom­bas no seu cam­inho podem transformar-se em mon­stros gigantes que blo­queiam o seu avanço.

Tenha atenção aos 3 assas­si­nos prin­ci­pais da moti­vação. Se se res­guardar das 3 situ­ações, sem dúvida que con­seguirá preser­var a sua moti­vação e impulsionar-se no cam­inho do sucesso.

Bons pro­jec­tos!

0 comments