BloggingBlogar é, por si só, uma tarefa árdua e com­pli­cada. Não é pos­sível entrar no blog “a ver se dá!”. Se assim for, o mais provável é não dar.

O grande prob­lema do Blog é que é, na sua natureza, algo que não se dá muito bem em testes a curto prazo. Blogar torna-se con­fuso, sub­til, com­plexo, desafi­ante, e é algo rel­a­ti­va­mente novo (no con­junto global das coisas). A prob­a­bil­i­dade de entrar com uma men­tal­i­dade de “cur­tir um pouco o blog” e desi­s­tir assim que se apan­harem situ­ações com­pli­cadas é muito grande. Nesse sen­tido, os bene­fí­cios que se augu­ram pelo sac­ri­fí­cio ini­cial tam­bém se vão perdendo.

Ter um blog é um exce­lente exer­cí­cio de com­pro­me­ti­mento, con­sistên­cia e per­se­ver­ança, como um casa­mento. É necessário ter estas 3 qual­i­dades para se ter um blog com um mín­imo de sucesso. Os resul­ta­dos podem ser espec­tac­u­lares, mas tem de entrar com todo o seu empenho e aguen­tar nos maus momen­tos, ou nunca chegará à parte boa.

Aqui estão algu­mas dicas para fazer e ren­o­var o seu com­pro­misso com o seu blog:

  • Pare de “ten­tar”: Blogar resulta. É bom em vários sen­ti­dos, para si, para o seu negó­cio e para os seus clientes. Exis­tem inúmeros casos deste género. Deixe de ter “uma no cravo e outra na fer­radura” e dedique-se por inteiro.
  • Defina e cal­en­darize o seu tempo de blog: Isto é muito impor­tante, e não neces­sita de ser diário (e sobre­tudo não diga qual o seu cal­endário e horário é, no blog) , mas qual­quer que seja, defina-o e cumpra. Coloque na sua agenda e não sobre­ponha com mais nada.
  • Faça do seu blog um reflexo: Tente encon­trar even­tos que dis­parem este reflexo. Pode ser antes das nov­e­las, assim que começa (se não gosta de nov­e­las), depois do duche de manhã, assim que vai almoçar, etc, não inter­essa. Inter­essa é que esse evento dis­pare o seu reflexo. Assim que gan­har o hábito, será algo instan­tâ­neo e o seu cére­bro, habit­u­ado, entrará em modo BLOG automaticamente.
  • Apre­cie os momen­tos com­pli­ca­dos: Em todas as activi­dades há “momen­tum” e há “plateaus”. Todos os blog­gers já se ques­tionaram, num momento ou noutro. Talvez seja quando obtiver um número certo de leitores, ou pas­sar a marca das 1000 vis­i­tas por dia ou quando começa a rece­ber comen­tários neg­a­tivos ou quando os seus mel­hores ami­gos ques­tionam a sua forma de escr­ever, etc. A sua reacção a esses even­tos são fruto da sua per­spec­tiva. Lembre-se que feed­back é apren­diza­gem. Má ou boa, indica que alguém está a ler e acha o seu assunto impor­tante ou moti­vante o sufi­ciente para lhe respon­der. Esta apren­diza­gem irá trazer mel­ho­rias na sua habil­i­dade de comu­nicar no futuro. Ao rece­ber comen­tários neg­a­tivos, pode chorar e desi­s­tir, ou pode congratular-se e entusiasmar-se; é consigo!
  • Não tire férias: Tirar “férias de blog­ging” é a des­culpa típica para desi­s­tir sem queimar pontes. Se quiser desi­s­tir, desista. Doutra maneira, volte e pense em algo para escr­ever. Como todas as tare­fas, é 10% de inspi­ração e 90% de transpiração.

Faça do blog o seu legado e o seu com­pro­misso para si mesmo. E faça-o hoje mesmo!

0 comments